segunda-feira, 18 de abril de 2016

Sessão da Tarde, por PipocaComVinagre

CRÍTICA: Um Congresso da Pesada

Direção: Eduardo Cunha
Roteiro: Jovair Arantes
Estrelando: Jean Wyllys, Jair Bolsonaro e vasto elenco
Duração: 6h02min

A expectativa era grande para a estreia do longa tupiniquim mais aguardado do ano, exibido simultaneamente em diversos canais de televisão aberta e via streaming por muitos veículos de comunicação internet adentro. A equipe do site PipocaComVinagre já assistiu ao filme e registra aqui suas primeiras impressões sobre um dos projetos brasileiros mais controversos dos últimos 22 anos. 

Iniciando a sessão de modo protocolar e fingidamente desinteressado, o cineasta Eduardo Cunha (O Navio-Sonda e Suíça: A Conta que não Fecha) age como narrador para um primeiro ato que, além de demasiado extenso, conta com deficiências claras de estruturação e atuação por todo o elenco escalado para a película. Para os mais informados, o resultado já era de certo modo esperado, uma vez que o racha entre Cunha e o Estúdio Petê, ex-parceiro e amante da Agência Peêmedebê de Cunha, já havia se tornado público há alguns meses, resultando em divergências criativas que naturalmente afetariam a produção da obra.

Diante de uma liderança tão questionada assim, cabia ao roteiro de Jovair Arantes (O Agente da Conab) suprir as necessidades artísticas e morais apresentadas pela direção do longa-metragem - incumbência que logo demonstra estar muito além da capacidade do relator em seu texto padrão de ensaio, que apresenta motivações tão pífias a seus personagens quanto aquelas de grandes blockbusters hollywoodianos dos últimos tempos. Se a divisão do público parecia extrema em Batman V Superman e Capitão América 3: Guerra Civil, o longa brasileiro usa recursos narrativos questionáveis para elevar ainda mais o tom de polarização da plateia, que ao invés de escolher entre seu herói predileto, agora tem de se contentar em decidir o vilão que merece seu carinho. Decorada com frases de efeito e diálogos repetitivos que soam como dedicatórias, a trama se torna enfadonha logo em sua primeira hora de projeção, reservando pouquíssimas surpresas a um público que luta para manter a sanidade e o respeito durante as seis horas de duração do filme.

A segunda metade da produção também se arrasta com pouquíssima inspiração em seu segundo ato, quando uma de suas sequências mais promissoras tenta entreter o espectador a todo custo, sendo protagonizada por atuações improvisadas muito polêmicas de dois dos atores mais aclamados pelo grande público. A cena entre Jean Wyllys (Big Brother Brasil: Vende-se Intelecto por Sucesso) e Jair Bolsonaro (O Ditador e o Homofóbico) deve arrancar suspiros por boa parte dos espectadores, mas não funciona como nada mais do que um mero artifício para camuflar a total falta de capacidade do restante do elenco, limitado a ecoar falas emotivamente artificiais a parentes, divindades, escravos e vítimas do holocausto.

Seguindo o tom lamentável dos dois primeiros atos, o clímax do longa não surpreende, mas acidentalmente deixa muito material no qual se pensar, o que talvez seja o ponto de maior destaque do longa-metragem inteiro. Mesmo com tantas horas de duração, é possível que o grande público saia da sessão satisfeito com o final idílico apresentado, mas todos nós temos a obrigação de nos perguntarmos qual será o futuro do cinema brasileiro depois de um projeto tão controverso como esse. Com tanto investimento público assim, é frustante constatar que estúdios, cineastas e artistas pareçam cada vez menos interessados nas necessidades reais do público, mas sim em suas próprias carreiras.

O que será da arte após esse choque anafilático? Renascerá de um longo estado moribundo ou será silenciada de vez, como já foi anteriormente?

A única certeza é a de que jamais colocarei minhas mãos no fogo.    

sexta-feira, 1 de abril de 2016

O Dia da Mentira, pelo Tolo de Abril

Não acredite em absolutamente nada do que ler na Internet hoje. É sério.

Através de todo o alcance proporcionado pelas mídias sociais, haverá aqueles que exaltarão estupidamente a ditadura militar. Outros mitificarão fascistas, cuspirão sobre a desigualdade social, espalharão a ilusão da meritocracia e fingirão acreditar no impeachment como uma solução derradeira para todos os problemas que os cercam. Tenha paciência com esses seres tão ariscos e irritadiços, que aproveitarão o dia de hoje para tumultuarem a casa um pouco mais.

Da mesma forma, não ouse baixar a guarda para o outro lado, onde a criatividade correrá solta e fertilmente. Artistas de renome insistirão em uma esquerda há muito endireitada, enquanto outros recorrerão a fantasmas golpistas em nome de uma democracia partidária. Haverá ainda aqueles a defenderem o direito entortado das urnas de 2014, ignorando a grossa camada de maquilagem usada para que o defunto das contas públicas parecesse saudável e digno de confiança.
       
Vale tudo para pregar uma peça inesquecível nos mais inocentes durante o dia de hoje - e qualquer que seja o resultado, tenha certeza de que essa será uma daquelas pegadinhas que o país inteiro lembrará dia a dia, pelos próximos muitos anos. Só resta saber quem de fato achará tudo isso engraçado.


terça-feira, 29 de março de 2016

Defesa Comprometida, pelo Incorretamente Despolitizado

Os resultados apresentados pela cúpula de direção brasileira continuam a causar alvoroço dentro e fora do país, ampliando a crise iniciada em 2014 e que parece não ter fim.

Nesta terça-feira, o país viu mais uma grande desarticulação dominar o campo onde atuam seus representantes. Confortáveis com o peso mórbido de suas contas no exterior e carentes de uma liderança coesa e competente o suficiente para promover sinergia entre suas peças mais importantes, os astros tupiniquins demonstraram grande incapacidade para reverter o resultado negativo calcado por sua contínua desorganização.

Com isso, o Brasil permanece em baixa, indesejavelmente próximo de países menores como Peru, Colômbia e Paraguai, a despeito da riqueza de seus recursos e supremacia populacional no continente. Nessa hora, o peso da ausência de nomes de confiança, todos investigados dentro ou fora do país, pesa para a manutenção de uma pergunta que simplesmente não quer calar.

Afinal, você é a favor ou contra a saída de Dunga?


quarta-feira, 23 de março de 2016

Última chamada, pelo Incorrespondente Nacional

Atenção, senhores passageiros.

O Aeroporto Internacional Zaventem anuncia mais um alerta às estratégias europeias em sua política externa de combate ao terrorismo no oriente médio. A área de check-in do aeroporto permanece indisponível a todos aqueles que desejem partir, e um exercício mais rigoroso nas fronteiras também deverá impedir a entrada de indivíduos não credenciados ao país. Lamentamos dizer também que o saguão de embarques abriga apenas parte das vítimas surpreendidas pelo fogo cruzado entre o fanatismo ideológico e interesses políticos camuflados - duas forças tão intrínsecas como simbióticas da era política moderna.

Informamos ainda aos senhores passageiros que o risco de novos ataques permanece inalterado, e aconselhamos a todos que não portem intolerância quando os embarques voltarem a ser realizados. O Aeroporto Internacional Zaventem condena veementemente os ataques realizados na manhã de terça-feira, reproduzindo mecanicamente o pronunciamento protocolar realizado entre os maiores líderes europeus e americanos mediante a presente situação. Às famílias das vítimas, comprometemo-nos a oferecer todo o suporte e ajuda necessários, da mesma forma como observamos outras instituições fazerem diante dos atentados realizados em 2015. Nosso poder de adotar as políticas cabíveis para preveni-los, contudo, permanece distante de parte das metas traçadas pela União, resultando em uma provável extensão dos conflitos por tempo indeterminado.  

Desejamos a todos os chefes de estado uma urgente busca por soluções, e aos praticantes dos recentes atos de terrorismo, o exato abismo no qual apenas dizem acreditar. 

Tenham todos um pouco mais a lamentar e pensar.

segunda-feira, 21 de março de 2016

Zootopia, pelo Crítico Mirim

Ontem fui no sinema acistir o novo dezenho da disnei, zootopia.

Os animais falam que nem gente. Tem uma coelhinha que odeia ser chamada de fofa. Ela quer ser policial, mais todo mundo acha que ela não vai conseguir. Parece a minha irmã, que quer ser pilota de carro mais meus pais não deixam.

Zootopia é uma cidade grande que nem são paulo. Ninguém liga muinto pra você, já que tá todo mundo junto e misturado. Lá tem os predatores e as prezas. A coelhinha acha que a rapoza é malvada só porque é predatora. Mais aí quando ela vira policial ela precisa da ajuda da rapoza por cauza de um crime. Vários predatores estão virando selvagens de novo.

O desenho é engrassado. Cada parte da cidade tem bichos diferentes. Meus pais gostarão da parte do detran. Disserão que é igualzinho. Eu gostei mais da parte dos ratinhos. Minha mãe disse que a mensagem do filme é bonita. Todo mundo tem preconsseito, mais se você quer ser melhor, tem que adimitir o problema pra depois mudar. Que nem na escola. Eu não gostava do raoni porque ele tem cara de indio. Mais aí a gente fez um trabalho junto. Ele é muinto legal.

A monica iozi e o rodrigo lombardi fazem as vozes da coelhinha e da raposa. A monica é engrassada. Meu pai disse que a voz do rodrigo ficou parecida com a original. Os efeitos são bonitos, e as músicas também. Tem a shakira cantando. Eu gosto dela, mais meus amigos falam que é coisa de menina. Acho que eles precisam assistir o dezenho também.

Recommendo muinto assistir zootopia, professora. Acho que falar sobre ele na classe seria bem divertido.    

sábado, 19 de março de 2016

O Horóscopo, por CaprichosamenteTEEN

Os astros indicam uma semana agitada mais à frente. Além do desalinhamento dos planetas, a Terra também parece ter saído um pouco de seu eixo normal. Acompanhe as dicas a seguir para tentar lidar com as novas forças que regem o cosmo!

Áries (21/03-20/04) – Use sensatez e criatividade para manifestar sua opinião de modo sadio pelos próximos dias. Não tente impor seu ponto vista para cima dos outros, e esteja disposta a ouvir com atenção quando for necessário.

Touro (21/04-21/05) – Não faça da cor vermelha sua pior inimiga na escola. Da mesma forma, evite fazer de seu guarda-roupas um desfile colorado contínuo. Sem rancor ou orgulho, você estará apta a opinar com mais clareza e lucidez em qualquer situação. Uma flâmula é sempre necessária para distrai-la das espadas - e essas podem apunhalá-la dos dois lados.

Gêmeos (22/05-21/06) – Evite confiar cegamente nas figuras que dizem representá-la. Todo mundo, inclusive você, têm mais de uma face guardada a sete chaves dentro de si. Entenda os dois lados da moeda antes de escolher cara ou coroa.

Câncer (22/06-22/07) – Capriche nas pesquisas para dar aquela impressionada na galera de suas rede sociais. Compartilhar artigos não lidos pode ser tão embaraçoso quanto recusar-se a ler informações vindas de veículos cujas opiniões diferem da sua.

Leão (23/07-23/08) – Vá com calma em seus argumentos. A pressa é inimiga da perfeição, e uma ofensa em falso pode afastá-la de pessoas com as quais você realmente se importa. Evite o uso de estereótipos e alcunhas taxativas. O bote pode ser fatal.

Virgem (24/08-22/09) – Não seja inocente a ponto de achar que está sempre certa. Engula o orgulho e admita ter errado quando for preciso. Teimosia exagerada é justamente aquilo que a impede de ser vista como imparcialmente racional. 

Libra (23/09-22/10) – Só porque uma justiça não é a sua, não quer dizer que ela seja necessariamente incorreta. Acostume-se a isso o quanto antes, evitando desilusões futuras e uma descrença irremediável. O entendimento concreto de leis e termos jurídicos podem certamente ajudá-la com isso.

Escorpião (23/10-21/11) – Controle o nível de veneno que borbulhar tanto em seus dedos quanto em sua língua. Palavras têm uma força maior do que podemos julgar e, uma vez registradas, dificilmente serão esquecidas. 

Sagitário (22/11-21/12) – Evite estabelecer alvos fixos para disparar suas flechas. O jogo muda muito rápido, e sua percepção tem de estar afiada para entender os novos rumos que o acaso trouxer.

Capricórnio (22/12-20/01) – Preste atenção em sua crenças. Usada ao lado do medo, uma ideologia pode ser tão facilmente manipulada quanto a raiva, fazendo de você um mero instrumento para os fins de outras pessoas. Quem acusa os outros de marionetes pode ser justamente aquela dançando sob os cordões.

Aquário (21/01-19/02) – Esta é a sua era. Não deixe que o excesso de informações superficiais faça de você a vítima da semana. As atualizações são rápidas demais para qualquer mortal permanecer plenamente informado, então busque sempre análises profundas sobre o que vier a ler.

Peixes (20/02-20/03) - A confusão pode ser justamente o maior sinal de seu real entendimento das coisas. Pode parecer difícil, mas dê tempo ao tempo enquanto analisa cada detalhe com o máximo de cuidado.

[Atualizado] Segundo informam alguns leitores, esquecemos do signo de Serpentário, descoberto recentemente. Nossos astrólogos trabalham com calma e responsabilidade antes de fazerem um pronunciamento.

Previsão do Dia, pelo TempoClima

Texto originalmente publicado no Facebook dia 18/03/2016
Uma onda avassaladora de calor continua a avançar pelas regiões mais populosas do país. Com um aumento tão drástico de temperatura assim, provocado em parte por uma massa de ar quente detectada na última quarta-feira, é melhor o pedestre pensar duas vezes antes de ir às ruas, pois também aumentam as chances de pancadas durante o fim da tarde.
Enquanto a frente fria parece distante, aconselhamos a todos que mantenham-se hidratados, lavando o rosto em água fria ao menor sinal de irracionalidade. Em caso de tempestade, procurem abrigo ao invés de abrir o guarda-chuva ou aparelhos eletrônicos, que podem servir como para-raio em locais abertos. Aproximar-se de árvores pode ser uma opção igualmente letal, esteja você disposto a serrá-la ou defendê-la.
Na região norte, a temperatura parece mais amena, na casa dos 30°C.
No nordeste, os termômetros registram um aumento de temperatura incomum para a época, que até pouco tempo costumava girar em torno dos 13°C.
No sudeste, o verão parece ainda não ter terminado, registrando os maiores índices de calor desde 1992. O dia de hoje pode registrar uma máxima de 45°C.
Na região sul, oscilações anormais de temperatura durante o dia indicam uma mínima de 15°C e uma máxima de 45°C.
O centro-oeste continua extremamente nublado, aguardando mais pancadas a qualquer instante.
Diante desse cenário, a Prefeitura de Bom Senso, muito afetada pela situação, soltou uma nota lamentando novamente a falta de planejamento para um sistema de drenagem operante em todos os lados do país, o que vem comprometendo muito a saúde pública dos cidadãos nessa temporada tão imprevisível.